CATAIA – Pimenta pseudocaryophyllus (Myrtaceae)

UNESP de Registro realiza pesquisa visando extrair óleo essencial da
cataia

No sentido de realizar pesquisas que visam descobrir novos metabólitos
de plantas medicinais da Mata Atlântica foi estudada a Pimenta
pseudocaryophyllus, conhecida vulgarmente como cataia.

A cataia pertencente à família Myrtaceae (outras plantas dessa família
são a goiaba e o eucaliptu, dentre outros). A planta ocorre na região
do Vale do Ribeira, principalmente em áreas de restinga do litoral Sul
do Estado de São Paulo. Na medicina tradicional é utilizada no
tratamento da diarréia e inflamações.

Porém nenhuma pesquisa foi encontrada referente ao isolamento de
produtos naturais desta planta, devido a esse fato, foi iniciado o
estudo envolvendo a caracterização química de metabólitos voláteis de
P. pseudocaryophyllus e suas respectivas aplicações em testes
antiparasitários e antimicrobianos.

O trabalho foi nomeado de “COMPOSIÇÃO QUÍMICA E ATIVIDADES BIOLÓGICAS
DO ÓLEO ESSENCIAL DAS FOLHAS DE Pimenta pseudocaryophyllus Gomes”,
sendo este trabalho publicado no Congresso de Iniciação Científica da
Unesp, que neste ano foi realizado na FCAV em Jaboticabal (Faculdade
de Ciências Agrárias e Veterinária), nos dias 13 e 14 de novembro de 2006.

A P. pseudocaryophyllus foi coletada no município de Ilha Comprida/SP
e as folhas foram separadas e secas. Em seguida as folhas foram
submetidas ao processo de extração do óleo essencial, com isso obteve
o óleo essencial que revelou a presença de dezoito compostos, com
destaque para o eugenol e metil-eugenol como predominantes.

Com o óleo essencial foi feito bioensaios visando saber o efeito
microbiano do óleo. Entre os testes realizados foi determinado contra
a bactéria Enterococus hirae a concentração de 0,4 mg/ml do óleo
essencial. Os enterococos são microorganismos comensais que atuam como
patógenos oportunistas e que freqüentemente causam infecções em
pacientes hospitalizados. É um dos microorganismos mais comumente
isolados do trato urinário, responsável pela grande incidência de
bacteremia hospitalar.

Além disso, atividades antiparasitárias “in vitro” em promastigotas de
Leishmania (L) chagasi, responsável pela doença de leishmania visceral
em seres humanos foram observadas. A concentração de 500 µg/ml de óleo
essencial da P. pseudocaryophyllus causou uma mortalidade de 100% dos
promastigotas.

Assim os autores afirmam que os estudos até o momento revelam que o
óleo essencial da Pimenta pseudocaryophyllus poderá ser utilizado no
desenvolvimento de novas substâncias bioativas no combate a doenças
antimicrobianas e antiparasitárias.

O trabalho foi realizado pela discente Cybeli Alves de Oliveira sob
orientação do docente Palimécio G. Guerrero Jr. e com a colaboração da
aluna Josilaine Emanuelle do Prado. Para mais informações sobre
metodologia e resultados encontrados entrar em contato pelo e-mail
pali@…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s